Desligue o achômetro

purple 1000

Eu me incomodo um pouco com a necessidade que algumas pessoas têm de julgar a vida dos outros. Basta alguém fazer uma coisinha diferente do habitual e pronto!… Já é motivo para julgamentos dos olhos mais curiosos.

Não precisa muita coisa…

Começar a malhar. Não malhar. Mudar de endereço. Morar em um lugar.  Resolver trancar a faculdade. Resolver começar uma faculdade. Namorar. Não namorar. Ir a um show. Viajar. Ficar em casa. Comer bolo de chocolate. Comer alface. Comer carne. Ser vegetariano. Sair com alguém. Falar. Calar. Estar. Ficar. Ir…

Cada decisão está propensa à julgamentos, e muitas vezes julgamentos maldosos. Como se cada atitude fosse motivada por propósitos ruins, e feita para atingir uma vontade implícita de cada um. E não é bem assim.

Pode parecer meio óbvio, mas as pessoas de bom coração querem mais é viver em paz. Não deixam suas vontades subentendidas através de suas atitudes. Decidem por isso ou aquilo explicitamente, muitas vezes somente porque estão com vontade. Não optam por uma coisa para tentar demonstrar algo.

Como eu queria que cada um pudesse fazer suas coisas, como bem entendem, sem o “achômetro” dos outros sempre ligado. Opiniões e compartilhamentos de experiências são legais, e nos ajudam a evoluir, claro. Chatos são os julgamentos sem conhecimento de causa. Porém, creio que é difícil que eles não existam, pois às vezes são mais fortes do que as pessoas que os fazem, e muitas vezes nem percebem que já estão novamente julgando uma coisa ou outra.

É tão bom poder viver sem pressões e sem preocupações sobre o que os outros vão pensar. E a solução é isso mesmo, fazer o que se quer, pensando no bem e desejando o amor para tudo e todos. É o que eu procuro fazer, porque eu acho que se encher de bons pensamentos e energia positiva só atrai coisas boas.

Por mais que, vez ou outra, sintamos uma energia não muito boa de alguém, não podemos saber de cara suas intenções. Então procuro acreditar que a energia positiva serve, no mínimo, como um escudo protetor, onde os pensamentos atraem aquilo que exalam, e vice-versa.

Sei que fazer a minha parte, e incentivar para que os à minha volta também façam, já contribui para uma vida tranquila. Aos poucos, isso vai contagiando mais e mais pessoas para que também vejam a vida assim.

Uma opinião sobre “Desligue o achômetro

    • 22 de fevereiro de 2016 em 13:41
      Permalink

      Nossa, que legal! Nunca respondi uma tag, vai ser a primeira, muito obrigada pela indicação! 😀 Vou responder carinho e logo logo posto o resultado. E obrigada pela leitura! :*

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *