O tesouro que há no caminho

arcoiris

Quem quer, faz. Já vivi o suficiente para entender que o que é meu, ainda que não agora, um dia, vai ser meu.

Não é desejo de possessão, de forma egoísta. É desejo de ter, inclusive, a possibilidade de conviver, a oportunidade de compartilhar. De dividir e expandir alegrias. De viver!

O importante é, antes de tudo, preocupar-se com as realizações próprias. Com a plena satisfação em fazer o que se faz, em viver o que se vive. As pequenas felicidades cotidianas levam às grandes. O prazer de extrair o melhor de cada instante prepara as energias em volta para receber os maiores anseios.

O bem plantado hoje, vai um dia ser colhido. As árvores darão frutos e os arco-íris levarão aos tesouros, mas a jornada não vai ser fácil. Uma árvore não cresce, floresce e dá frutos de um dia para o outro, assim como arco-íris não surgem em qualquer lugar. Os potes de ouro são encontrados por aqueles que persistem, e aproveitam os caminhos coloridos até neles chegarem. Basta reconhecer e valorizar tanto o arco-íris quanto o tesouro. Tanto a beleza das árvores quanto o sabor dos frutos.

Quem quiser me ver, vai me ver. Quem quiser estar comigo, vai dar um jeito. Quem quiser ouvir o que digo, vai ouvir. E quem tiver de chegar até mim, um dia vai chegar. Assim como eu sei que vejo quem tenho que ver, ouço quem tenho que ouvir, para chegar onde devo chegar. Não simplesmente porque quero, mas acredito que tem uma energia maior que nos encaminha para um lado ou outro. Destino, talvez. Sempre tem um propósito, mesmo que, agora, eu não entenda. Nada do que encontro pelo caminho é em vão.

As oportunidades aparecem a qualquer tempo, mas às vezes até é preciso colocar os óculos e melhorar a visão para enxergá-las. Ou ainda, dar abertura para que apareçam. Os objetivos iniciais nem sempre são alcançados, por isso sei que a grande chave é aproveitar o caminho. Assim, o objetivo pode até mudar no meio do trajeto, e as pequenas fases podem ser mais surpreendentes do que o grand finale. Melhor viver um grande percurso ao aproveitar cada segundo, do que frustrar-se ao alcançar o objetivo e perceber que nem era tudo aquilo que foi idealizado.