Meu mês em fotos: setembro/2016

Na última publicação eu falei que depois da formatura os posts novos viriam com mais gás ainda, não é mesmo? Eis que agora que vai ser pra valer!

O mês de agosto passou batido aqui nos registros fotográficos, mas estou preparando um post bem lindo sobre a formatura, que foi dia 27 de agosto, para tentar compensar minha ausência e contar um pouquinho de como foi esse dia tão esperado pra mim. Hora de falar então do mês de setembro…

01 – CONHECENDO DEUS

01.JPG

Os trocadilhos são inevitáveis, mas não me levem a mal. Hehehe. Trata-se de um presente de formatura que ganhei do meu namorado: uma garrafa de DeuS Brut des Flandres, uma cerveja tão peculiar quanto seu nome! Só para dar uma ideia, ela é produzida pela Cervejaria Bosteels, inicialmente na Bélgica, e depois é depois transferida para a França, onde passa pelo processo champenoise, o mesmo utilizado para a fabricação do champagne, fazendo uma segunda fermentação em garrafa, passando mais alguns meses em caves. O processo deixa a bebida tão carbonatada que parece muito com espumante, mas com certo sabor de cerveja, ao mesmo tempo em que é adocicada… Enfim, uma experiência tão singular quanto sua complexidade!

02 – MÊS DOS GAÚCHOS

02.JPG

Setembro é o mês em que o Rio Grande do Sul está, mais do que nunca, cultuando suas tradições. Além do chimarrão diário, dos churrascos de domingo (ou de sempre que surgir oportunidade) e de costumes gaúchos, a tradição é exaltada em todos os cantos do estado, com programações especiais em cada cidade. É quando ocorre a Semana Farroupilha, por conta da data de 20 de setembro, que em 1835 marcou o início da Revolução Farroupilha, o mais longo e um dos mais significativos movimentos de revoltas civis brasileiros, envolvendo em suas lutas os mais diversos segmentos sociais, e que durou cerca de dez anos. É tempo de ter ainda mais orgulho das raízes, e o registro é da abertura dos festejos farroupilhas na minha cidade, Candelária-RS. Bairrismo puro, com muito orgulho!

03 – VALORIZANDO O QUE É BOM E DAQUI

03.JPG

O Festival da Cerveja Gaúcha teve sua 3ª edição em 2016, e (felizmente!) tem sido cada vez melhor. Ocorre na cidade de Santa Cruz do Sul – RS e, neste ano, foi nos dias 09 e 10 de setembro, ou seja, no mês dos gaúchos mesmo, não tinha data melhor! O Rio Grande do Sul é um dos principais estados produtores de cervejas artesanais do país e o festival valoriza a produção de cerveja local, além de fomentar a cultura cervejeira e incentivar o público a conhecer e entender a importância de se consumir e apreciar produtos de qualidade, alto valor agregado, cheios de criatividade e inovação. A data do ano que vem ainda não foi divulgada, mas o que é certo é que vai ter muita cerveja, comida e música boa, além de uma organização impecável que está sempre de parabéns. Ah, e também é certo que nós estaremos lá! Hahah.

04 – TEMPORADA DAS FLORES

04.JPG

Apesar de a rinite atacar enlouquecidamente, eu adoro a primavera. É natural cada estação do ano ter seu lado bom, e outro nem tanto, por isso que eu tento focar no que vai me trazer mais alegrias. Neste caso, são as flores, os perfumes, o colorido, o clima… Ai, ai! É tudo de bom…

05 – CONTINUA LINDO

05

Olha, se Gil já cantava que era lindo o Rio de Janeiro, hoje posso afirmar que continua! Foi o nosso destino nos últimos dias do mês. É tudo aquilo que diziam mesmo… maravilhosa, encantos mil e tudo mais. É uma sensação muito legal ver de pertinho aqueles tão lugares conhecidos por fotos e televisão. Quem tiver oportunidade de ir, não pode perder. Mas não sem antes ler o post que vou fazer sobre a viagem daqui a alguns dias, com um pouquinho do que mais curti por lá.

Agora vamos em frente que outubro tá passando e mais posts estão por vir!

O que faz a diferença no cuidado com os cachos – respondendo dúvidas

Cachos 1000

Eu sempre gostei do meu cabelo cacheado, e gosto de ver as pessoas felizes com seus cachos também, ainda mais agora que está se buscando, cada vez mais, assumi-los. Não sou nenhuma expert, mas, quando posso, e quando me perguntam, procuro orientar da melhor maneira possível. A experiência que eu tenho com cachos é a da vida mesmo. Hehe.

De vez em quando alguém pergunta o que utilizo no meu cabelo cacheado, porque acham bonito, e também gostariam que os seus fossem assim e tudo mais. Geralmente essa pergunta vem de pessoas que têm cabelos cacheados também, ou algum familiar, como filha, irmã, etc., quase sempre por não conseguirem “domar” os cachos.

Nesses casos, eu fico até meio sem saber por onde começar a responder, por que normalmente eu uso produtos básicos que acredito que a maioria das pessoas usa. Shampoo, condicionador, creme de pentear e algum creme de tratamento (hidratação, nutrição ou restauração), fazem parte da minha listinha de básicos e necessários. Talvez algum óleozinho também, mas enfim… hehe. O “básico” acaba tendo que ser entre aspas né, porque a lista não é lá muito curta.

O que posso dizer é que, muitas vezes, o segredo não são os produtos que aplico, e sim a maneira como aplico. Então, resolvi escrever este post tentando dar uma ajudinha para quem tem este tipo de dúvida. Porque apesar de gostar de falar, às vezes eu tenho receio de ficar falando, e falando, e falando para explicar o que talvez possa fazer a diferença no cuidado com os cabelos cacheados.

Ao mesmo tempo em que eu quero ajudar a quem me pergunta, não quero ficar dando um “sermão”, até porque a pessoa pode não estar esperando uma resposta tão longa né! Uma coisa é certa: dá trabalho, mas nada que o costume não resolva. Além disso, cada caso é um caso, cada cabelo tem suas peculiaridades. Eu fiz uma listinha com alguns pontos importantes que levo em consideração nos cuidados com o meu cabelo, conforme o meu gosto, mas que outras pessoas podem não gostar nos seus. Contudo, espero realmente que ajude.

Por isso, primeiramente, quero destacar que reuni dicas que funcionam comigo, e que podem funcionar com outras pessoas, mas não são regras. É mais para tentar abrir a visão sobre o assunto, e fugir do tradicional que muita gente pensa ser o certo, mas que na prática, não é bem assim. Tudo depende do histórico de cada cabelo, da situação em que se encontra (qual tipo de tratamento está precisando), do tipo de cacho (2, 3, 4… A, B, C…), textura, etc.

Segundamente, quero enfatizar que muitas pessoas relacionam termos que aparecem em campanhas publicitárias de produtos para cachos (comportados, domados, etc.) com cachos bem definidos, sem volume e sem frizz. Porém, isso não é sinônimo de cachos bonitos e saudáveis. Eu, particularmente, prefiro muito mais o volume, e para isso eu sei que não vou ter uma definição excepcional e vou precisar aceitar o frizz. Tranquilo, não tem problema, são características do cabelo que precisam ser aceitas. Para facilitar, comece desencanando disso também, beleza?

Então, lá vai:

  1. Se acostume com o frizz
  2. Cachos bonitos não precisam, necessariamente, ter definição perfeita
  3. Estimule o volume
  4. Cachos bonitos não são cachos molhados
  5. Não deixe os cabelos “grudados” na cabeça
  6. Não precisa lavar todo dia (e nem um dia sim, outro não :P)
  7. Procure entender o que seu cabelo está precisando, para saber que tipo de tratamento fazer ao lavar (ou não fazer, às vezes)
  8. Amasse os cachos com creme para pentear depois de lavados
  9. Utilize muuuito creme para pentear (muito mesmo!) na finalização
  10. Amasse muuuito os cachos
  11. Seque os cabelos (naturalmente ou com secador), ainda amassando os cachos
  12. Nos “days-after” não precisa muito creme (ou nada), talvez só um pouco de óleo
  13. Condicionador ou outro creme de tratamento não podem ser utilizados como creme para pentear
  14. Não penteie seus cabelos quando estiverem secos
  15. Utilize um pente de hastes largas

E é isso! Acho que com estes itens já se pode ter uma ideia de como fazer para conseguir um resultado legal. Acredito que estes pontos que destaquei possam fazer a diferença e imagino que muitas pessoas saibam de muitas destas dicas, ou que considerem até meio óbvias, porém, às vezes é um click que está faltando para alguém ficar mais contente com seus cachos. São detalhes práticos, mas que contam muito!

Tentei resumir para facilitar. Espero que vocês tenham gostado e principalmente, que tenha ajudado. Me contem se funcionou com vocês, ou se fazem algo diferente para cuidar das madeixas! 😀 Se alguém ficou com alguma dúvida, também pode ficar à vontade para me perguntar. Obrigada pela leitura!

Lugares além das redes: Buenos Aires

BsAs 1000.jpg

Seguindo a linha dos lugares que conheci e quero compartilhar por aqui – comecei com o post que falava de Ouro Preto – MG – decidi que antes de começar a falar sobre lugares específicos, como restaurantes e lojas legais, vou contar minha experiência em outra cidade queridinha. Este texto iria sair uma hora ou outra, então resolvi escrevê-lo de uma vez e juntar algumas percepções e momentos que vivi na cidade de Buenos Aires, capital de nosso país hermano, Argentina.

Pretendo fazer bem resumido mesmo, com “pontos-chave”, como se fosse uma introdução para outros capítulos que podem vir, tanto em outras postagens aqui no blog, quanto na própria experiência dos leitores que venham a conhecer a cidade portenha depois. Tipo papo de amiga mesmo, sabe? Pra contar pequenos detalhes do que gostei de lá, com algumas dicas também, para, quem sabe, despertar a vontade de conhecer a cidade em mais pessoas.

Já visitei a cidade três vezes, e cada uma delas foi diferente e especial. Aliás, todas elas duraram menos de uma semana, então fica a dica para quem não consegue sair por muitos dias e quer curtir um passeio curto bem legal e relativamente perto, por se tratar de um país vizinho. A primeira foi em 2012, em uma viagem de estudos que fiz com o pessoal da faculdade. Foram dias corridos, divididos entre visitas técnicas, palestras e pontos turísticos. Tínhamos a programação da parte acadêmica feita, por isso eu já pesquisei sobre a parte turística antes, e levei anotadinho tudo o que eu queria tentar conhecer nas horas livres.

Pra começar, o nosso hostel ficava na famosa Calle Florida que, para uma primeira visita, é bem interessante, justamente por ser uma das ruas mais conhecidas de lá. Tem lojas de tudo que é tipo, mas é realmente o ponto dos turistas e, por conta disso, é onde empresas turísticas passam toda a extensão da rua com representantes oferecendo seus serviços, o que é um pouco chato, mas faz parte do comercial né. Vale a visita mesmo assim para conhecer, sempre cuidando bem de seus pertences porque todo mundo fala que é alvo de batedores de carteira.

A parte turística dessa viagem foi bem completa mesmo, e o hostel em que ficamos era pertinho de muita coisa que pudemos ir a pé mesmo, assim, conheci Puerto Madero e a Puente de La Mujer, a Casa Rosada e a Plaza de Mayo, caminhei pela Avenida de Mayo e atravessei a 9 de Julio, rua mais larga do mundo, onde conheci o Obelisco no entroncamento com a Corrientes. Também fui à Recoleta e conheci a Facultad de Derecho e a famosa Floralis Genérica, que abre suas pétalas durante o dia e se fecha à noite.

mtg 01 1000.jpg

Um dos lugares mais turísticos de lá, que eu sempre via em fotos, era o bairro La Boca. Cheio de casinhas coloridas e casais dançando tango por todos os lados no Caminito, onde visitei também o estádio La Bombonera. Foi legal para conhecer, é bonitinho mesmo, mas nas outras vezes que fui à cidade, não foi um lugar que fiz questão de voltar, achei turístico demais para o meu gosto. Preços bem elevados por coisas que encontramos em outros bairros por valores mais em conta, mas vai de gosto.

Na última manhã na cidade, ainda aproveitamos para tomar um café da manhã no clássico Café Tortoni, que é bem turístico também, mas vale a visita, para conhecer. Aliás, acho interessante também conhecer outros cafés de lá em outras oportunidades, como fiz nas viagens seguintes, eles têm muitas opções no ramo. Como fomos bem cedo, não pegamos fila, mas nas outras vezes que passei na frente, sempre tinha uma fila enorme aguardando para entrar.

mtg 02 1000.jpg

Ah, e pegamos o Subte para ir para lá, que é o metrô subterrâneo. Já estava na minha listinha que montei através de dicas que vi na internet antes, mesmo descobrindo depois que andaríamos somente duas estações, foi legal. Valeu a experiência, porque nas outras vezes eu o utilizei muuuuito para me locomover por lá, inclusive, outra dica é usar táxi que, pelo menos quando fui, era bem barato. Para finalizar a viagem, passamos um dia na cidade de Tigre, e fizemos um passeio pelo Delta do Rio Tigre, que é muito legal e diferente, pelo menos pra mim. É uma experiência que eu recomendo também.

mtg 03 1000.jpg

Já na segunda vez que visitei a cidade, fui com meu namorado, em 2014. Como ele também conhecia a cidade, acabamos fazendo um passeio menos tradicional, ainda bastante turístico, mas conhecendo lugares um pouco mais paralelos. Na verdade, foi uma viagem onde o nosso maior foco foi a comida! Hehe. Novamente, pesquisamos antes na internet, e as maiores dicas obtive no site Buenos Aires para Chicas, escrito pela Amanda Mormito, que descobrimos através do Destemperados. Aliás, indico a visita nestes três sites – a Amanda não está mais escrevendo nesse blog de BsAs, mas todas as dicas maravilhosas continuam lá e, entrando no site dela, é possível ver sobre o que mais ela fala agora, assim como no São Paulo Encantada.

mtg 04 1000.jpg

Nesta viagem, caminhamos muuuuito, passeamos sem pressa pela linda Avenida de Mayo, atravessamos diversas vezes a 9 de Julio, e conhecemos também a Rivadavia, que é a rua mais longa do mundo. Conheci a Catedral Metropolitana, a famosa igreja do Papa Francisco, que é muito bonita e cheia de história, também vale uma paradinha para conhecer. Visitei o Museu de Arte Moderna, a Livraria El Ateneo e a Biblioteca Nacional. Conheci o bairro San Telmo, e sua famosa feira de rua que ocorre aos domingos e tirei a famosa foto com a Mafalda por lá.

mtg 05 1000.jpg

E também me apaixonei por Palermo, um bairro cheio de estilo, cores e arte. Lindo, lindo… Lá estão lojas, restaurantes e cafés muito legais e bonitos, de muito bom gosto.

mtg 06 1000.jpg

Por falar em apaixonar-se, é claro que esta viagem também teve a ilustre presença de um casal que foi fotografado, a Rocio e o Jeremias. Eles são muito fofos e moram lá. Nos divertimos muito fazendo algumas fotos deles em uma noite fria e com uma chuvinha fina que caía. *–*

mtg 08 2 1000.jpg
Fotos: Marcelo Brum

E já na terceira vez que estive na cidade, em 2015, fiquei apenas 2 dias, ao final de uma viagem com amigos que começou no Uruguai. A chegada já foi diferente, pois pegamos o Buque Bus em Colonia del Sacramiento, que atravessou o Rio del Prata até a cidade. Dessa vez, também caminhamos muito, e aproveitamos melhor alguns pontos da cidade que não tivemos muito tempo de aproveitar antes, voltamos a lugares que gostamos e, ainda assim, conhecemos novos lugares, como a Plaza del Congreso.

mtg 07 1000.jpg

Acho que já deu pra perceber que vale super a pena a viagem né? Tentei falar em poucas palavras, mas foi o máximo que consegui resumir. Vou deixar os detalhes para outras postagens para não cansar ninguém desse assunto (por mais que eu não canse, hehe). Aliás, eu contei um pouquinho da minha experiência por lá, e sei que existem diversas outras opções também, espero que tenham gostado! Se tiverem mais alguma dúvida, me falem, me contem o que acham. 😀